BOAS-VINDAS

É uma grande alegria receber a sua visita. Tenho o real desejo de tornar este blog um espaço onde possamos discutir, de forma aberta e sincera, assuntos de interesse profissional para todos aqueles que participam da guerra diária contra a criminalidade e a violência.
As opiniões e comentários serão de essencial importância para o sucesso deste espaço de discussões.

OS ARTIGOS PUBLICADOS PODEM SER COPIADOS, DESDE QUE CITADA A FONTE

domingo, 24 de maio de 2009

CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Estive participando nos últimos dias, na condição de instrutor, dos treinamentos práticos de Tiro Policial Defensivo dos alunos do Curso de Formação Profissional da Polícia Militar do Ceará. Estes treinamentos vêm ocorrendo em um clube de tiro particular que foi contratado pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, por sinal o melhor e mais bem estruturado de nosso Estado.


Desde o início venho elogiando a estrutura e a sistemática da formação destes novos profissionais, conduzida de uma forma muito profissional pela Universidade de Brasília - contratada pelo Governo do Estado do Ceará para realizar a seleção e a formação para os novos Soldados.


Era unânime entre os instrutores da disciplina de Tiro Policial Defensivo, nos contatos que tive com a maioria deles no clube de tiro, a importância que foi dada aos treinamentos práticos dos alunos, inclusive a quantidade de cartuchos que foram disponibilizados para os treinos, sem falar na quantidade de horas/aulas. Se fizermos um comparativo com o que ocorria há algum tempo atrás, onde muitos cursos de formação terminavam sem um único exercício prático de tiro, tivemos uma grande evolução.


Entretanto, alguns fatores devem ser observados urgentemente, pelo bem da Polícia Militar do Ceará, do sistema de segurança pública de nosso Estado, de nossa sociedade e, principalmente, em respeito à vida destes novos Soldados. Elenco alguns deles:


1 - Conteúdo teórico muito ruim;


2 - Imposição de um sistema de treinamento – Método Giraldi – para o qual a maioria dos instrutores não estava habilitada, portanto os alunos receberam treinamentos em níveis e características diferentes;


3 - Uma grande quantidade de horas/aula em poucos dias;

Grande concentração de alunos em pouco espaço de treinamento, comprometendo a segurança;


4 - A centralização das decisões pedagógicas em poucas pessoas, não tendo sido aberto espaço para que os professores e instrutores pudessem sugerir e opinar.


Em postagens posteriores, irei detalhar cada um destes pontos citados.



2 comentários:

Ribamar disse...

Ilmº Maj.

Sou o Cap Ribamar(Asp 97), atualmente comandando a 1ªCia/7ºBPM em crateús, fui instrutor da disciplina de Tiro Policial Defensivo das turmas 61(Crateús)com 31 alunos e 62(Tauá)com 25 alunos, li os comentários sobre a disciplina e concordo plenamente com as questões da grande quantidade de hora/aulas em poucos dias, pois, no meu caso, como era instrutor em duas turmas tive que passar quatro dias na cidade de sobral ministrando instrução começando 07h00 da manhã e terminando 21h00, sem intervalo, para que desse tempo, pelo fato da SESP/UNB não ter aceitado a mudança do local de Sobral, que é um TG, para a cidade de Crateús que possui um Batalhão do exército com uma estrutura bem melhor, mas, como guerreiro é guerreiro, consegui chegar ao final dos quatro dias sem que houvesse nenhum incidente de tiro.
Gostaria de parabenizar o espaço destinado e solicitar que se possuir material de instrução como apostilas e vídeos voltados a área policial nos remetesse através do email ribamar.feitosa@gmail.com
Obrigado e meus cumprimentos.

Anônimo disse...

Apesar de toda a estrutura do CESPE durante as aulas teóricas, as aulas práticas de tiro deixaram a desejar. O tempo exíguo para as instruções dixou claro que o principal era a quantidade e não a qualidade. Uma pena, pois com 250 munições e mais tempo teríamos uma instrução de alto nível com certeza. E a questão de ter que esperar a liberação dos cordenadores do cespe para assinar uma frequência? Uma humilhação!!
Mais uma vez nos calamos diante das decisões unilaterais da secretaria!!!

Gen Patton.